Preciso falar um pouquinho de um dos artistas que mais amo no mundo: Roy Lichtenstein! (Acho que é culpa dele e do Mondrian essa minha tara por preto, branco e amarelo.)

Ele é do movimento pop e super conhecido pelas obras de quadrinhos. Você com certeza já viu. O que, talvez, você não saiba, é que esses quadrinhos eram pintados à mão! Sim, ele imprimia sua arte usando os mesmos equipamentos dos outros artistas mais clássicos: pincel e tinta!

Ele costumava usar as cores primárias, pra parecer realmente uma impressão e além disso, a retícula de impressão fica nítida na textura pontilhada de boa parte dos trabalhos. (Retícula de impressão é a trama que compõe todas as cores de uma imagem, juntando as básicas CMYK – ciano, magenta, amarelo e preto – exatamente como na sua impressora de casa.)

Roy foi professor de artes, gráfico, designer e decorador. Era multi-talentos e usava a linguagem das HQ’s pra fazer refletir. O movimento Pop (e a arte contemporânea) pega objetos comuns e transforma em arte. Além disso, fiquei pensando muito sobre a questão do plágio, que tanto se ouve hoje em dia e que gerou uma longa conversa no último encontro que tive com as queridas blogueiras, amigas aqui do Rio… até que ponto se apropriar de características de outras obras / pessoas / movimentos, pra fazer seu próprio trabalho, é inspiração e não cópia? Ele usava claramente os mesmos elementos dos quadrinhos, mas tinha um trabalho incomparável. E aí?!

 

 

Por favor! Jamais falarei que o trabalho maravilhoso dele era cópia de qualquer coisa. Foi só um link que fiz entre esses dois assuntos que estavam me rondando a mente. Amo Roy, com toda minha alma e quero muito poder ver uma obra dele ao vivo! (Tenho uma listinha mental de obras a ver, antes de morrer.)

Disqus

casadocecasa

Wordpress

4 respostas para “Arte: Roy Lichtenstein”

  1. Também tenho uma lista mental de obras para ver antes de morrer! hahahaha. Não necessariamente obras específicas, mas obras de algum artista que eu goste: Mondrian, Fragornard…
    Roy eu gosto, mas não sou tão apaixonada.

    Beijos

    • Sim! Nem todas são obras específicas, mas é uma vontade imensa de ficar cara a cara com elas, ao menos uma vez na vida. Que bom que me entende! 🙂
      Eu adoro a estética do Roy. Acho que até mais que do Warhol, não sei.
      Mas Mondrian é um xodozinho também. hehe

      Obrigada pela visita.
      Beijos

  2. Olá Ana, nesta minha viagem aos EUA tive a felicidade de ver Lichtenstein e Warhol ao vivo e a cores (muitas). Aliás já entrei no Art Institute of Chicago me direcionando para a ala PopArt! arte incomparável. Bj e boa semana!

    • Ai ai. Que lindo! Nossa, deve ser maravilhoso de ver ao vivo. Eu acho um dos movimentos mais interessantes da historia da arte. E ainda terei essa experiência de ver ao vivo esses dois icones! 😀
      Obrigada pela visita!
      Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *