Você é multi-potencial? Não sabe no que focar sua marca, exatamente porque se interessa e faz várias coisas diferentes? Tudo bem. Hoje eu vou falar um pouquinho sobre como criar uma marca que faça sentido quando se é assim, com multi-talentos.

 

Vou falar da minha experiência, mas acredito que tem mais gente assim por aí… Sou uma eterna curiosa e transitar por diferentes áreas me fez conhecer desde técnicas de pintura até linguagem css.

 

A maioria que fala sobre comunicação diz a mesma coisa: ache um nicho, de preferência que não tem muita gente falando, e foque nele. Ou seja, encaixote seu conteúdo num tema e faça dele sua bandeira. Seja uma autoridade no assunto.

 

Sempre entendi e até concordo com o por quê disso, afinal, se seu nicho é claro, você atrai pessoas interessadas naquilo. Aquela frase clichê é verdadeira: quem fala sobre tudo, acaba não falando sobre nada.

 

Tem que escolher?

 

Bom, vou confessar que, pra mim, isso é assustador! Eu lia isso e me sentia oprimida, por que afinal, uma semana eu quero fazer cerâmica e na outra meu foco é design! Tenho muitos interesses e acho que eles se complementam de alguma forma. Nem que seja me capacitando com um olhar critico e analítico bem desenvolvido. Então, como é que eu vou escolher um só?! Focar minha marca (ou seja, tento ganhar dinheiro com…) cerâmica ou design?

 

A verdade é que não precisa, necessariamente, escolher. Ao invés de focar em uma habilidade que tem, ou ferramenta, que tal focar em um tema que permeia todos os seus interesses? Só você faz as conexões que faz. Só você sabe como faz sentido juntar tudo isso.

 

Porque agora vou te contar um segredo. Sabe qual é o fio que conecta tudo? VOCÊ!

 

Se a gente cria uma marca em cima de quem somos, acabamos nos libertando e, com o perdão de parecer brega, florescendo. A gente passa a mostrar o nosso melhor e mais verdadeiro lado. Aquele do qual nos orgulhamos e faz ficar com um sorrisinho quando alguém repara e elogia, sabe?

 

Então, o que é essa coisa dentro de você que junta todas essas áreas diferentes?

 

 

Sua marca não precisa ser sobre cerâmica nem sobre design. Talvez o fio que ligue tudo seja sua paixão por criar algo do zero e deixar u pouco da sua própria marca em tudo que faz, como as digitais que ficam na cerâmica manipulada. Ou ver a beleza do inesperado, de uma forma que gera outra… Sei lá! Só você pra saber!

 

Mas percebe que não é a coisa em si, mas sim o que tem em comum entre elas, e diz respeito ao SEU olhar sobre os assuntos e ferramentas?

 

Dessa forma você evita trocar de nome, como eu tive que fazer! Chegou um momento em que eu estava me sentindo completamente limitada pelo meu nome e pior, deixando de falar o que realmente queria e de atrair as pessoas com as quais eu realmente queria conversar. Existia um ruído gigante na comunicação da minha marca / imagem que não era mais sustentável pra mim.

 

E veja bem, não estou falando sobre usar seu nome como marca. Isso é papo pra outro post.

 

No meu caso…

 

Vou ser sincera, foi só um reposicionamento mesmo. Arriscado, seu sei. Mas quero passar determinada imagem e isso precisava acontecer! Óbvio que tenho planos e a ambição de que minha marca me sustente no futuro, mas eu sentia que, pra chegar lá, tinha que passar por essa mudança antes. (Já leu o post sobre o significado da Annima? É esse aqui: E a Casa Doce Casa virou ANNIMA)

 

 

Pode ser que no meio do caminho que eu tracei, descubra que na verdade devo ir pra outro lado, focar em outra coisa, falar de outra forma, mas a essência da marca vai permanecer a mesma, porque agora ela transmite o conceito mais profundo que conecta todos os meus fazeres: a criatividade que temos dentro da nossa alma. Que, no meu caso, desde que me lembro na infância, faz realmente parte de quem eu sou.

 

Depois que tomei consciência disso, depois de descobrir o que realmente me move, é que cheguei até um nome (e uma marca) que deixou de me limitar e passou transmitir o significado de tudo que tenho dentro de mim. Por isso que ela vai fazer sentido pra sempre. Porque ela É a minha personificação.

 

Veja bem, eu adorava meu nome antigo. Casa Doce Casa é fofo. Mas ele me colocava na caixinha do “universo casa” e eu não queria ficar falando só sobre decoração. Porque acredito que ela, assim como o design, a pintura, a música, e todas as outras artes, são ferramentas. Formas de expressar a criatividade e transmitir uma bela mensagem.

 

Por isso eu tinha essa necessidade de mudar. Pra conseguir ir além. Mas não vou te enganar, não foi nada fácil. Fiquei 1 ano à deriva, perdida sem achar nenhum termo que representasse o que eu queria dizer. Eu sabia o que era, mas não sabia traduzir em uma palavra ou frase. E ainda morria de medo de trocar pra algo que acabasse indo pelo mesmo caminho da limitação.

 

Então…

Se eu puder te dar um conselho, desses de quem já passou por isso, eu diria que você deve descobrir POR QUÊ faz o que faz. E COMEÇAR por aí. De dentro, pra fora.

 

***

Pequeno aviso:

Durante o mês de junho vou aproveitar o gancho do nome novo e falar bastante sobre marcas. Então, se você:

  • Se interessa, te convido a voltar semanalmente, deixar suas perguntas e opiniões. Vamos conversar sobre esse tema que tanto amo!
  • Tem uma amiga que tem uma marca e acha que ela precisa de umas dicas, compartilha o link e vamos ajudar mais pessoas!
  • Não tem interesse (não entendo como, já que somos todos marcas pessoais!) fica tranquila que em julho os posts vão ser mais mesclados, como sempre foram. 😉

 

Disqus

casadocecasa

Wordpress

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *