Vamos conversar sobre os mitos que envolvem a criatividade? Quero te provar que ela existe, mas não é bem assim como a gente costuma pensar…

 

 

Algumas pessoas acreditam que a criatividade seja um dom cedido a poucos sortudos. Se você é dessas e, pior, acha que não foi uma das que ganhou na loteria genética/divina, quero te dizer que você está equivocada e o motivo pelo qual não “cria” nada, é outro.

Já ouviu a frase (que dizem ser de Thomas Edison, mas não tenho certeza): “a genialidade é 99% transpiração e 1% inspiração”?

E tem uma outra muito boa (talvez Picasso) que diz que “a inspiração até existe, mas ela precisa achar você trabalhando”.

Criatividade é isso. É um trabalho diário que a gente faz de olhar o mundo com outros olhos. E também de recolher o máximo de informações que conseguimos.

 

Criatividade é tentar achar soluções diferentes pra problemas comuns

 

(PadMad.org)

 

Talvez o termo seja equivocado. Não criamos nada. A gente pega algo que viu ali, com uma ideia que chamou a atenção aqui, mistura com um pouco de experiência de vida… o tempo inteiro a gente “remixa” ideias. Sim! A gente não cria, só junta!

Por isso que ter  um bom repertório é essencial pra “ser criativo”. Você tem várias caixinhas de informação que podem até ser inúteis separadas, mas quando precisar juntar de uma forma única, aí sim tudo vai fazer sentido e vai ter valido a pena guardar esse monte de coisas na memória.

É isso que faz um bom designer. É uma parte natural da vida de uma pessoa dessa área, conhecer várias coisas. A cada novo projeto a gente precisa pesquisar sobre novos assuntos, nada a ver com a profissão, mas sim com o universo daquele cliente específico.

E aí o design vira só ferramenta pra agrupar todas as informações de uma forma que faça sentido, visualmente.

 

Pensa no gadget que há alguns anos revolucionou o mercado: o iPhone. Que nada mais é do que um telefone, que já existia, com ipod, que já existia, com computador pessoal… Nesse speech famoso e maravilhoso do vídeo aí de cima ele conta como foi importante se matricular numa aula de caligrafia, mesmo não tendo nada a ver com computação, área original dele e nem foi algo que serviu naquele momento. Mas anos depois, um dos diferenciais da Apple foi a riqueza de detalhes na concepção dos seus produtos. E sabemos que a tipografia está diretamente ligada ao design. Ele diz que aquelas aulas o ajudaram exatamente nesse momento.

Criatividade é conectar os pontos. Será que se ele não tivesse frequentado essas aulas, teria essa preocupação com cada detalhe e criaria os produtos da forma como criou, cativando tantos fãs da marca ao redor do mundo?

Então, se você achou o título desse post sem noção, eu volto a afirmar que sim, ser criativo não é criar várias coisas, até porque, acredito que TUDO já foi criado. Ser criativo é juntar as informações que você recolheu ao longo da vida de uma forma que só você é capaz. 😉

 

“Stay hungry, stay foolish.”

Disqus

casadocecasa

Wordpress

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *